Árbitro escalado para a final da Libertadores traz ótima lembrança ao torcedor do Corinthians

A Conmebol definiu a sua equipe de arbitragem para apitar a final da Copa Libertadores. O árbitro da partida traz boas lembranças ao torcedor do Corinthians e más recordações para os hinchas do Boca Juniors, que disputará a decisão contra o Boca Juniors. A partida acontecerá no dia 4 de novembro, no estádio do Maracanã.

O colombiano Wilmar Roldán, será o árbitro responsável pelo jogo. Ele esteve a frente da vitória inesquecível do Time do Povo contra o Boca por 2 a 0 no Pacaembu, em 4 de julho de 2012. Os dois gols do jogo foram marcados pelo atacante Emerson Sheik, se sagrando como campeão inédito da Copa Libertadores.

Roldán será auxiliado pelos “bandeirinhas” Alexander Guzmán e Dionisio Ruíz. O quarto árbitro será Andres Rojas e Wilmar Navarro. Todos os citados também são registrados na confederação da Colômbia. No VAR, o árbitro de vídeo Juan Lara será auxiliado por Angelo Hermosilla, Edson Cisternas e Jhon Ospina. Com a exeção do último, que é colombiano, todos são registrados na federação do Chile.

A torcida do Fluminense pode usar o árbitro como um “amuleto da sorte”. Além do Corinthians, Wilmar também foi o juiz escalado na vitória de 2 a 0 do Atlético-MG contra o Olimpia em 2013, onde também foi coroado campeão inédito da Libertadores.

O profissional está no quadro da Fifa e foi escalado para duas Copas do Mundo (2014, no Brasil e 2018, na Rússia). Além das três Libertadores, ele esteve em duas finais de Copa Sul-Americana (2017 e 2012) e na final da Copa América de 2015.

Árbitro apitou dois jogos do Corinthians na temporada 2023

Apenas neste ano, ele também apitou outros dois duelos do clube do Parque São Jorge. Todos eles foram válidos pela Copa Sul-Americana. O experiente juiz comandou a vitória de 2 a 1 contra o Universitario-PER, fora de casa, ainda na fase de play off, no dia 18 de julho.

A partida no jogo da volta foi marcada por um clima hostil por conta dos peruanos, que ameaçaram a delegação corintiana por conta da prisão do preparador físico Sebastian Avellino, que cometeu injúria racial no primeiro duelo na Neo Química Arena. Após o gol que definiu o jogo, marcado pelo jovem Ryan, a treta aconteceu entre os atletas do Timão e do adversário, quando três jogadores, incluindo o autor do tento, foram expulsos.

Duas fases depois, no dia 29 de agosto, Wilmar esteve na derrota do Corinthians por 1 a 0 contra o Estudiantes nas quartas de final da competição, também no jogo de volta e fora de casa. Como os argentinos igualaram o placar da ida, o jogo foi para os pênaltis e o Time do Povo venceu por 3 a 2 na marca da cal.

Comentários estão fechados.