Candidato do Corinthians, Augusto Melo se posiciona oficialmente após acusação de misoginia

O candidato de oposição para a presidência do Corinthians, Augusto Melo, se defendeu das acusações que vem sofrendo, inclusive sendo alvo de protestos em frente ao CT Joaquim Grava, nestá última segunda-feira(20).

“Isso foi uma conversa numa mesa de bar, na qual estávamos em seis pessoas, para vender a parte política. Quero pedir perdão às mulheres, à Cintia, porque veio num ataque à minha família. Não justifica nada disso. Peço perdão. Errei”, iniciou Melo.

“Estávamos almoçando e uma das pessoas usou isso com maldade. Infelizmente essa menina está sendo usada politicamente. Já tivemos casos piores e essa sugestão nunca fez nada. Estão agindo politicamente. Tenho histórico dentro do clube. Sou pai de mulher. Nunca tive problema com ninguém, ao contrário do que estão inventando.”

“A irmã dela [Cintia] me ligou ontem chorando e falou que ela estava sendo usada. Infelizmente, estou aprendendo na dor. Saio disso como um homem melhor, que corrige os erros. É mais uma que a gente aprende”, finalizou.

Ação contra racismo

O confronto entre Corinthians e Bahia, válido pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro, será marcado por uma ação conjunta de responsabilidade social entre as duas equipes. Ambos os times realizarão iniciativas de conscientização na luta contra o racismo, em celebração ao Dia da Consciência Negra, que ocorre nesta segunda-feira (20).

Ambas as equipes compartilharão postagens simultâneas nas redes sociais, utilizando a hashtag #JogoContraORacismo. Antes do início da partida, será observado um minuto de silêncio, acompanhado da exibição de mensagens nos telões do estádio.

Além disso, está em produção um material em parceria com Fernando Wanner, historiador do Corinthians, que abordará a luta contra o racismo pelos dois clubes. Essas iniciativas destacam o compromisso das equipes em promover a conscientização e combater a discriminação racial no esporte e na sociedade em geral.

Comentários estão fechados.