Corinthians entra na justiça para usar seu hino sem restrições

O Corinthians iniciou um processo na Justiça em busca de usar seu hino “Campeão dos Campeões” sem restrições. O departamento jurídico alvinegro acionou a Editora Musical Corisco, que alega ter direitos sobre a música, e a Musiclave Editora Musical, que se declara representante dos herdeiros do compositor Lauro D’Ávila. A informação foi publicada pelo portal UOL.

Entenda o caso do Hino do Corinthians 

Em novembro de 2022, o Corinthians deu início ao processo na 30ª Vara Cível de São Paulo e ainda não teve conclusão. A ação tem como objetivo evitar novos incômodos como um que aconteceu em 2011, quando o clube recebeu notificação extrajudicial da Musiclave por conta da execução do hino em uma propaganda da TV Bandeirantes.

Apesar da notificação de 2011 não ter gerado processo, o Corinthians ficou ciente que existia um contrato de 1969 e que a Musiclave poderia eventualmente alegar direitos sobre o hino. Assim, o jurídico do Timão quer oficializar o hino como propriedade do clube, sem qualquer condição ou necessidade de pagamento pela utilização.

“Desde os idos de 1955, e até o surgimento da notificação de 2011 – que não teve qualquer desdobramento – jamais foi exigida qualquer autorização prévia do titular ou contrapartida pela utilização, o que reforça a ideia de que o Corinthians sempre esteve autorizado a fazer uso do hino como seu patrimônio cultural e institucional”, trecho do processo.  

“De 1955, quando foi institucionalizado como hino do clube, até 1985, quando o autor da obra faleceu, nenhum pedido de autorização ou restrição foi imposto ao Corinthians pelo criador do hino. O mesmo ocorreu depois de sua morte, pois o Corinthians continuou a usar a obra de forma livre, sem sequer saber da existência da editora”, outra parte do processo obtido pelo UOL. 

Comentários estão fechados.