Craque da Seleção Brasileira manda a real sobre o Corinthians: “Sempre fui patinho feio”

O treinador Fernando Diniz convocou pela primeira vez o defensor Carlos Augusto, que atua na posição de lateral-esquerdo, para a Seleção Brasileira. O jogador da Inter de Milão foi desenvolvido nas divisões de base do Corinthians.

Durante uma conferência de imprensa realizada no último domingo, após uma sessão de treinamento da Seleção, o jogador discutiu sua trajetória no Timão e seu progresso profissional.

Sempre fui patinho feio na base. Até fiquei trocando de posições, atacante, meia, zagueiro, fiz tudo. Quando venho ao lado desses jogadores, penso que foi aprendizado. Foi até bom para crescer como pessoa. Só agradeço por ter passado por esses momentos“, iniciou Carlos.

Carlos Augusto ingressou no Alvinegro Paulista em 2011 e, na temporada de 2018, foi promovido à equipe profissional. O lateral-esquerdo contribuiu com 41 partidas usando a camisa alvinegra e contribuiu para a conquista de um título pelo clube.

Em agosto de 2020, ele deixou o Corinthians e se transferiu para o Monza, da Itália, que havia acabado de subir para a segunda divisão. Após três anos no Monza e exibições consistentes, Carlos Augusto deu um salto significativo em sua carreira e, nesta temporada, ingressou em um clube de renome no cenário do futebol europeu.

Além disso, o lateral-esquerdo foi agraciado com sua primeira convocação para a Seleção Brasileira. O jogador compartilhou suas reflexões sobre o processo de seu desenvolvimento como atleta de alto nível;

“Minha transição para o futebol italiano foi essencial. Não tive sequência grande no Corinthians, ir para lá me ajudou a pegar confiança, crescer como pessoa também, entender o futebol italiano que é tático. Falavam que eu era defensivo no Brasil, na Itália falam que sou ofensivo. Pretendo trabalhar as duas partes para ser o mais completo possível”, contou.

“Fui pegar sequência nas últimas partidas pelo Corinthians, joguei 10 partidas seguidas e fui embora. Estava pegando boa sequência, confiança, poderia fazer boa sequência no Corinthians. Achei que era momento de ir para a Europa, era meu sonho. Foi a decisão certa e, querendo ou não, fiz escolha arriscada na Série B da Itália, mas não foi errado. Aprendi sobre o futebol italiano, aprendi taticamente, peguei confiança no campeonato. Cresci como jogador“, prosseguiu.

Convocado às pressas

Na primeira oportunidade com a amarelinha, a convocação veio após os cortes de Renan Lodi e Caio Henrique, que se machucaram. Fernando Diniz decidiu convocar Guilherme Arana e Carlos Augusto, ambos oriundos das categorias de base do Corinthians.

Na partida contra a Venezuela, disputada nas Eliminatórias da Copa do Mundo na última quinta-feira, Fernando Diniz escalou Arana como titular. Entretanto, nos treinamentos subsequentes, Carlos Augusto integrou o time titular e tem a expectativa de atuar na partida contra o Uruguai, que ocorrerá na terça-feira(17).

O jogador aproveitou a oportunidade para comentar sobre a competição saudável com seu colega de equipe na seleção.

Converso com todos, tento ter o máximo de aprendizado. Conheço o Arana do Corinthians, sabemos da concorrência e aceitamos de boa. Todos trabalham pelo bem da seleção. A resenha eu tenho com ele como tenho com todo mundo”, finalizou.

Comentários estão fechados.