Gil aceita parcelar em 18x e vai receber valor milionário do Corinthians

Nesta semana, o cenário do futebol brasileiro foi marcado por uma negociação importante envolvendo o Corinthians e o ex-zagueiro Gil, atualmente no Santos. O clube paulista, em uma ação que visa encerrar pendências antigas, formalizou na Justiça de São Paulo um pedido de homologação de um acordo financeiro substancial com o jogador.

O acordo estabelece que o Corinthians pagará ao defensor a quantia de R$ 1,750 milhão, referente aos direitos não recebidos durante os anos de serviços prestados ao clube. Gil, um dos pilares da defesa corintiana, jogou pelo time de 2019 a 2023. A composição dessa dívida inclui diferentes aspectos contratuais não honrados no período em que o atleta atuou pela equipe.

Como será feito o pagamento ao ex-zagueiro do Corinthians?

A forma de pagamento acordada entre as partes envolve um plano de parcelamento. A estratégia adotada para o acerto financeiro inclui um total de 18 parcelas. A primeira, no valor de R$ 100 mil, tem vencimento iminente, programado para 24 de maio. Posteriormente, o clube continuará a cumprir o compromisso com outras 16 parcelas mensais, também no valor de R$ 100 mil cada, que serão pagas entre julho de 2024 e novembro de 2025.

O acordo prevê uma parcela final diferenciada, de R$ 50 mil, que será quitada em dezembro de 2025. Todas as parcelas acordadas serão ajustadas com base na inflação e sujeitas a juros, para garantir a correção financeira adequada ao longo do período estabelecido.

Implicações do Acordo para o Corinthians e Gil

Este acordo não apenas resolve uma pendência financeira relevante para Gil, mas também permite que o Corinthians regularize sua situação contratual com o atleta, evitando prolongamentos desgastantes em instâncias judiciais. Para o jogador, é a garantia de que seus direitos serão finalmente respeitados, mesmo após sua transferência para o Santos, reforçando a importância do respeito às obrigações contratuais no esporte.

Em síntese, a condução deste acordo entre Corinthians e Gil destaca um exemplo da dinâmica de negociações no futebol brasileiro, sublinhando questões de gestão financeira e contratual que são cruciais tanto para os clubes quanto para os atletas profissionais.

Comentários estão fechados.