Renato Portaluppi não gostou nada de atitude vinda do Corinthians

Na entrevista coletiva após a derrota do Grêmio para o Corinthians por 1 a 0, neste domingo (12), na Arena, em Porto Alegre, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro, o técnico Renato Portaluppi fez críticas à direção do Timão em relação à confusão com a arbitragem.

No intervalo da partida, funcionários do Corinthians tentaram invadir a cabine do VAR, localizada nos corredores da Arena. Um dos mais exaltados era Alessandro, ex-lateral-direito e atual gerente de futebol do Corinthians. Ele bateu na porta da sala e gritou: “abre essa porra!”.

Na coletiva, Renato criticou a atitude de Alessandro e revelou que o presidente Duílio também perdeu a postura com a arbitragem na Arena. Ele disse:

“Difícil falar. O presidente do Corinthians chutou a porta do árbitro na frente do vestiário do Grêmio. Mas o que eu vou fazer, sou treinador do Grêmio. O que eu acho engraçado é que ninguém chutou a porta do VAR lá em São Paulo quando não deram pênalti legítimo para a gente…”

“Ninguém chutou a porta do árbitro, né? Estavam satisfeitos.” Renato alfinetou, referindo-se a um lance controverso em que o VAR não marcou um pênalti a favor do Grêmio em São Paulo.

Alessandro se defende

Após o término das coletivas, Alessandro falou com a imprensa na zona mista da Arena. Ao abordar a possibilidade de ser punido pelo STJD, o ex-lateral mencionou a briga entre torcedores do Cruzeiro e Coritiba, ocorrida no último sábado.

“(A punição) cabe ao STJD ou a quem relatarem o episódio. Estou aqui para assumir os fatos, a forma como protestei. (…) Eu vou ser penalizado, sem sombra de dúvida. Agora, quero ver se alguém do jogo de ontem, da torcida do Cruzeiro, vai ser penalizado. Você pode ter certeza que você vai ver aqueles torcedores na arquibancada o mais rápido possível. Você tem dúvida disso?”, disse.

Comentários estão fechados.